"Faculdade do Amor"

O que você faria para reencontrar sua Alma Gêmea?

domingo, 18 de julho de 2010

"Uma carta de amor"


Uma carta de amor


Oi, sei que você que está me lendo é a pessoa certa pra isso, sabe, já tive medo de tanta coisa nesta vida, até de mim mesmo, mas agora chegou a hora de mostrar pra que vim.
Você provavelmente ficou curioso(a), pois bem, esse é o início de uma nova etapa de sua vida. Não sei se você já notou, mas eu e você temos uma coisa em comum, a sede de amar, e é dessa sede que eu quero falar. Sei que o que vou expressar lhe causará uma intensa felicidade e você ficará entusiasmado(a) por dias e dias.
Meu nome é Rafael Rasera Figueiredo, sou natural de Porto Alegre, tenho 27 anos, solteiro e com uma estória e tanto de vida pra lhes contar.
Tudo começou assim, sempre fui muito extrovertido e com um excesso de felicidade, espontâneo, com uma alto-estima incrível e com uma criatividade impressionante. Sempre fui arteiro, vivia fazendo baderna assim como qualquer garotinho saudável, meus pais mal me suportavam, eles e minhas professoras e inclusive todas as empregadas que meus pais contratavam. A medida que fui crescendo comecei a perceber que Deus existia de verdade e estava bem dentro de nós, e meu pai fazia questão de me ensinar a me tratar como um “Deusinho”, ou melhor, “jesuzinho”, ele me dizia que eu tinha todas as qualidades para ser tão bondoso quanto ele e me instigava a sonhar mais e mais, e o mais incrível, é que ele me dizia que era só uma questão de relembrar de quem eu era e tudo mais se resolveria! Minha mãe foi uma mãe batalhadora e honesta, certinha, muito alegre e pura de coração, trabalhava tanto pra sustentar agente que as vezes não tinha tempo nem pra ela mesma e nem pra nós(mas o que ela me ensinou ficou marcado profundamente em meu coração). Uma família de 7 pessoas, Cristiano, o mais velho, Marcelo, eu , Fábio , Aline e meus pais, Joceli e Ivani. A medida que fui crescendo e crescendo problemas iam surgindo, um deles o alcoolismo de meu pai que deixou marcas muito fortes em todos nós, e junto deste foram surgindo outros problemas, e um deles foi a depressão familiar. Eu sempre gostei de arte, portanto, sempre tornei minha vida em uma obra de arte, até mesmo as coisas ruins eu pintava com a graça de uma criança em busca do amor. Pois bem, um dia Deus começou a pôr em prática seus planos comigo, e meus pais se separaram depois de 25 anos de casados. Nossa família então começou um longo processo de cura e reestruturação, meu pai sumiu do mapa e perdemos o contato com ele, ele se auto puniu.Cheguei a usar maconha e experimentar algumas outras drogas, uma delas o cigarro. Eu parei de estudar no 3° ano do 2° grau e comecei a ir para um centro espírita junto com minha mãe, depois de um tempo começamos a fazer um curso de médium. Eu, sempre envolvido com esportes, música, letras, filosofia, amor, me impressionei demais com tudo aquilo e acabei mudando totalmente meu jeito de pensar e agir, passei a ver, sentir, ouvir e expressar-me incrivelmente diferente do habitual. Comecei a falar das luzes que via e das sensações que sentia quando falava dessa grande missão minha aqui na terra, que é a de “Construir uma faculdade do amor”, para ensinar as pessoas a serem verdadeiramente felizes e ajudar a despertar o mundo do coma em qual se encontra. Você já parou pra pensar que em suma maioria, nós humanos estamos num coma, qual nós mesmos somos os responsáveis por estar nele. E quem realmente desperta desse coma é chamado de “anjo” ou iluminado, pois recorda a sua missão na aqui na terra. Pois bem, continuando...
Eu tinha 21 anos, e todos começaram a pensar que eu estava pirando de vez ou simplesmente usando drogas, exatamente porque dizia que sabia quem era minha alma gêmea e a sentia, mesmo tão longe de mim e falava pros outros sobre como eu fazia esse contato e o que eu via neles. Pois bem, eu não trabalhava, só vivia escrevendo, tocando, cantando, pintando coisas que falavam desse amor imenso dentro de mim. Infelizmente os comentários na vizinhança começaram a surgir e com eles o deserto da solidão em mim se fez, fiquei incrivelmente triste e doente, as pessoas não acreditavam mais em mim e foram se afastando cada vez mais e mais de mim até eu chegar no fundo do poço, quando não agüentei e pedi ajuda pra minha família e eles me deram duas alternativas: Me internar no hospício(São Pedro) ou numa Fazenda de recuperação pra drogados, e eu sem muita alternativa e já sem forças escolhi a Fazenda de recuperação pra drogados.
Nunca me esquecerei da profunda tristeza que senti no dia em que parti pra lá. Fiquei nove meses internado lá, no meio de pessoas que já mataram, traficaram, roubaram e muito mais. O clima era pesado, mas mesmo assim eu não me entreguei, coloquei como meta reconquistar a confiança de minha família e de todos que me julgaram mal, fiz de tudo pra parar de pensar no que tanto dizia ser minha missão e voltei a ser um homem do mundo, claro que judiado e traumatizado, mas com um sonho guardado secretamente bem dentro do meu coração, afundo de minh’alma. Pois bem, passaram-se os 9 meses e eu retornei para minha família, minha mãe que reencontrou com seu primeiro namorado depois de cerca de 30 anos acabou voltando com ele e começaram uma nova vida em Bento Gonçalves, onde moro atualmente junto de meus irmãos Fabio e Aline.
Nos primeiros meses tudo muito estranho, tinha que recomeçar primeiro com um bom emprego que fizesse-me bem e que trouxesse frutos bons, foi aí então que surgiu o emprego de varredor de ruas, enquanto o pessoal roçava a beira das calçadas eu ia varrendo tudinho. Aprendi muito lá, trabalhei 4 meses lá e passei a trabalhar numa fábrica de pneumáticos aqui da região, na produção, lá comecei a me alegrar mais com a vida e passei a perseguir um único sonho, o amor, passei a divulgar isso que sentia, mas com muita cautela, pois sabia que agora não iria falhar novamente. Sempre procurava minha amada, mas não conseguia encontrá-la, e sempre muito confiante e persistente, só um pouco judiado e totalmente desestimulado neste ponto, e obrigado a tomar remédios, sentia que eu tinha algo muito valioso dentro de mim e fui prosseguindo, mesmo tão humilhado. Neste período terminei os estudos e logo no ano seguinte, em 2008 ingressei na faculdade, cursando psicologia. Um grande passo para reconquistar minha família e minha dignidade perante aqueles que me julgaram mal.
Depois de 1 ano e 7 meses fui demitido da empresa qual trabalhava, bom, depois de aprender a ser mais humilde trabalhando varrendo as ruas de Bento Gonçalves, tinha uma outra meta neste emprego que fora cumprida, aprender a trabalhar em equipe e colocar em prática tudo o que tinha aprendido até então em minha vida. Mas faltava mais uma etapa importante, que era a de trabalhar com o público e aprender a lidar com as pessoas de um modo mais objetivo e simples, de modo com que, me modelasse mais para que realmente conquistasse meu sonho(A faculdade do amor). Uma faculdade gratuita aberta para pessoas de todas as culturas e simplesmente com um único pré-requisito, a vontade de descobrir-se perante a vida e ao mundo, dando uma base mais sólida para o povo e rendendo junto dessa busca uma restauração “do amor verdadeiro”, trazendo muito mais saúde e qualidade de vida para nossa humanidade. Simplesmente uma idéia simples, porém não incorporada pela sociedade. Por que motivo será? Talvez porque a sociedade esteja tão impregnada pela ignorância de nós homens, ou talvez porque ainda estejamos num coma profundo, seguindo uma luz artificial ao invés da original bem dentro de nós.
Bom, finalmente comecei a trabalhar com o público na área turística, numa Cooperativa Vinícola da região de re-nome mundial, onde trabalhava com muito gosto.
Meu pai há alguns meses foi encontrado depois de anos sem saber seu paradeiro, mas ele foi encontrado muito doente, com tuberculose e para meu desamparo, dias depois morreu diagnosticado com o vírus da Aids sem ao menos poder o vê-lo. Mas tinha que seguir minha vida e tirar a lição mais preciosa disso tudo, que era o amor próprio, para jamais desistir de meus ideais. Foi nessa época que comecei a parar de tomar remédios por conta e minha vida deu um pulo, um enorme salto, e comecei a relembrar de tudo o que realmente me fazia feliz. Voltei a compor e a escrever sobre isso e encontrei pessoas importantíssimas em minha vida, que me auxiliaram a largar das ilusões e voltar a ser eu mesmo e contar ao mundo o que eu sentia, no mais profundo de minh’alma.
Mas isso gerou polêmica, muita polêmica por onde passava e comecei a notar que assim eu me sentia feliz, falando o que eu sabia sobre a vida e meus sonhos. Foi quando houveram algumas mudanças, minha auto-estima começou a melhorar e tudo começou a dará certo novamente! Voltei a acreditar naquela alma gêmea, mas as consequências do que eu dizia começaram a surgir. Minha ex-chefe e amiga Ana, que tanto me apoiara a deixar os remédios e seguir meu coração, começou a se voltar contra mim e não compreendia mais o que eu falava, foi quando ela começou a utilizar de minha vida íntima e particular contra mim e queria fez de tudo para eu voltar a ser aquele rapaz quietinho e carinhoso que não falava nada que a fizesse sentir-se confusa ou diferente da maioria. E ela, escondida, pediu para o pessoal da Vinícola qual trabalhava para pedirem que eu voltasse a tomar os remédios e ficar quietinho de novo, não ser tão feliz e confiante quanto eu estava. Pois bem, falo o porque disso, um dia esta minha ex-chefe me pediu pra indicar todas as imperfeições da Vinícola, dizer tudo, ser extremamente firme e profissional com esta questão, pois bem, ela e todo mundo se assustou com minha postura e ficaram perdidos, em suma maioria. Foi aí que tudo mudou e geraram-se as polêmicas maiores quanto a minha sanidade, porque meus olhos enxergavam mais do que só imperfeições e os detalhes minuciosos que assustaram a maioria. Minha ex-chefe pediu que eu fosse afastado porque eu estava ficando louco ou coisa do gênero, pois eu disse a ela seus defeitos e ela se assustou demais, mas, ela utilizou a minha estória, os meu passado para afastar-me dela e fez o pessoal conseguir o telefone de minha família e disseram isso. É claro que minhas mãe foi a mais afetada e perdeu totalmente o juízo e tudo voltou a ser turbulento e sofrido, eles pegaram o telefone de meu psiquiatra escondido e pediram um afastamento meu, e, o pior, é que o meu psiquiatra, mesmo sem me ver e me consultar pra tirar suas próprias conclusões , também agiu anti-éticamente e anti-profissional e fez o atestado por livre e espontânea pressão, e, o mesmo médico que me atestava normal também se voltou contra mim, como um telefone sem fio. Então, depois de muita pressão, dias sem dormir e sem comer, e muitas pessoas tentando me obrigar a voltar a tomar remédios e ficar quietinho, ser passivo de novo as vontades e verdades que eles vivem e pensam serem normais, me demitiram. Pois eu é óbvio que neguei voltar a fazer isso de novo e que eu era dono de meu nariz e que eles não tinham noção do que estavam causando a mim, mas que um dia iriam sentir isso na pele, pois tudo o que falaram de mim, teriam que provar primeiro que eles não eram, inclusive minha família voltou-se contra mim e fui extremamente negado, fui praticamente expulso de casa e eles me rejeitam até hoje por isso. Mas eu não sou como qualquer um, sou honesto comigo mesmo em primeiro lugar! Sorte que tinha comprado um apartamento e nele depositei todas as minhas esperanças e voltei-me ao meu principal motivo de estar vivo. Hoje, uma das funcionárias que trabalhava a mais de 25 anos na empresa e era a gerente de recursos fora demitida e, minha ex-chefe está prestes a ser demitida, pois a empresa está indo pro buraco, está entrando em falência de novo. Eu sei quem criou a Aurora e o que ele sofreu e que, inclusive, depois de ser chamado de esquizofrênico e torturado mentalmente acabou se matando, daí surgiu a Cooperativa, alguém tinha que assumir ela. Eu sei quem merece assumi-la de verdade e tomar conta dela, e é um associado, mas o pessoal tem medo disso, por isso me negaram e me afastaram de lá, assim como muitos bons funcionários. “Medo da verdade!” Pois bem, tive inclusive que me proteger de minha própria família, dizendo que poderia coloca-los na justiça por quererem me obrigar a tomar os remédios, ficar calado e voltar a mentir e ser passivo. Não! Eu não, eu sou diferente! Não sou fraco não! Faltam alguns meses pra acabar meu seguro desemprego, me mudei em janeiro, fui demitido em dezembro, dois dias antes de meu aniversário. Não consigo emprego na área que eu sou, a arte e a música, e estou sentindo na pele isso tudo, e eu já fiz entrevistas, ninguém quer funcionário, mesmo na arte, que fale a verdade, pois muitos são orgulhos e não aguentam ouvir a realidade, isso ofusca. E o Pedro Junior (que é um poeta bem conceituado da região), foi o primeiro que fiz entrevista, e ele me tratou como um lixo e foi rudi e até hoje me trata com desprezo, porque falei de coisas que ele não sabe, por isso pensa que eu tiraria o brilho dele. Mas não estou aqui pra tirar o brilho de ninguém, apenas ser eu mesmo e deu. Estou no negativo no banco, não sei como estou sobrevivendo mesmo, não me alimento como eu deveria e não tenho apoio algum de quem eu mais amo, por isso sou criativo e penso no melhor! Daí surgem estas palavras e as pinturas, canções e livros mais lindos!
Bom, hoje não trago muitas ambições, porque são pesadas demais e não deixam-me sair do lugar, minha única grande ambição é “o amor”, saber amar de verdade e ser amado pelo que pelo que de fato sou puramente.
Quando simplifiquei de fato minha vida é que me tornei verdadeiramente feliz. Minha busca é uma só, o resto é pura conseqüência natural de minhas atitudes perante a vida. Apesar de não ter dinheiro e nem minha família do meu lado eu sou feliz, pois sou honesto!
Hoje incrivelmente trago uma disposição fantástica para a vida e uma tremenda energia fora do que hoje o ser humano considera comum. Vivo pensando no amor e isso me motiva mais e mais, não adoeço mais e nem sinto dores de cabeça ou coisa do gênero, pois domino a mim mesmo, mesmo que muitos não acreditem em mim. Compreendo a vida e as pessoas deste mundo tão lindo, porém em coma, e ele necessita de nós para despertar dessa incrível depressão comática. Para que isso aconteça preciso de sua ajuda! Você mesmo(a)! Temos uma missão a cumprir, e só a união e o trabalho em equipe pode tornar este sonho em realidade. Tenho a certeza de que essa carta lhe soará como algo muito familiar, e certamente você passará a sentir desde agora uma energia fabulosa, repleta de satisfação e alegria. Só lhe peço uma coisa, divulgue essa idéia, esse sonho, e colha futuramente o fruto dessa singela atitude.
Tenho mais a dizer! Muito mais! Uma delas é que as pessoas, quando se libertam passam a enxergar o mundo espiritual, luzes inexplicáveis, passam a ter outras qualidades extra-sensoriais, dons a mais, como a sentir o mundo como um sinestésico, nossa relação interpessoal passa a trazer-nos o verdadeiro prazer pela vida. “Não somos seres tão limitados quanto pensamos, estamos apenas com medo de amar.”
Por isso que eu luto, e peço a você que reflita bem sobre ti mesmo e sua vida, e se por um acaso passar a acreditar em mim infinitamente serei grato a você.
Eu, neste exato momento não curso nenhuma faculdade, pois ela ainda não existe. Somente curso o amor que há dentro de mim. E Jesus existiu de fato para nos permitir mudar o rumo de nossas vidas. “Somos muito mais o que fazemos do que o que pensamos.” Por isso, peço que hajas. Muito obrigado caro(a) Anjo(a). Aguardo por você.
A propósito, você também não acha que a “matéria do amor” deva ser obrigatória na escolas do mundo inteiro? Melhoraríamos nossos relacionamentos e passaríamos a ter menos problemas de saúde e sociais.
Obs: Não só passem a enxergar a cura da humanidade e do mundo, ajam a favor dessa força e amem mais.


Quem gostar da idéia e quiser se unir a mim para que a “Faculdade do amor” exista realmente, divulgue essa idéia e entre em contato comigo através de meu Orkut: Rafael Rasera Figueiredo, Msn: rafaelrasera@hotmail.com. Um forte abraço! E até mais.